quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Na cabeça, e no coração

Não acredito em religião
só no que faz bem pra cabeça
e pro coração
meu pai não me ensino perdão
foi a dor de ser criança
que me fez cristão

Na rua canto e choro
lavando a indencência
da tua dor por ela
e quando chega a noite, coro
de amor e de dor, impaciência

Esses passos
são sobre o pecado
que na rua fez laço
e nessa estória meu amigo,
sou só mais um drogado

9 comentários:

tammy diktiva disse...

Faz bem aquele que acredita apenas no que az bem pra cabeça e pro coração.
Adorei o poema, adorei o blog *-*

Adriano disse...

Eu não entendi direito, acho que não peguei a idéia... mas no primeiro verso, curti demais...

Me identifiquei, acredito naquilo que faz bem pro coração, seja qualque coisa, religião, ilusão.....

tammy diktiva disse...

oi dri vou te seguir no blog *-*
seu blog eh mto bom, me add no msn q eu te indico os selos, vc merece
tammy_tat@hotmail.com

Deniere disse...

to nessa com vc... so acredito noq faza bem pro coração...

somos drogados... fazer oq, consumimos essa vida... q sinceramente? É uma droga..

Os Doutores da Lei disse...

Não acredito "só no que faz bem para o coração", pois o coração do homem é enganoso.

Gostei das riquesas de detalhe..

Jeferson

Os Doutores da Lei disse...

Nem sempre a "cabeça" é sinônimo de razão e de equilibrio...

Jessica Jin disse...

Se não confia nem na cabeça e nem no seu coração?
Como faz seu caminho?

Marcus Abner disse...

Poesia é algo q fala a nossa sensibilidade, n é um texto comum q pode ser interpretado pela razão, a poesia pede uma sensibilidade de momentos raros p significar o q pretende dizer e ir mais adiante do q somos e ter para cada um, um significado. Lerei mais de suas poesias e futuramente postarei aki. Parabéns

Pontes disse...

hahahaha Cara, que montanha russa esse texto.